Internauta Rebate Lula E Lacra Na Internet.

Internauta Rebate Lula E Lacra Na Internet. - Otávio Sá Leitão

São Paulo, sexta-feira, 24 de junho de 2022 – Ano de eleições é sempre assim, os ânimos esquentam e todos os lados estão prestes a dar a sua opinião sobre diversos assuntos, este ano não seria diferente. Assim sendo, hoje trazemos até você um fato inusitado que aconteceu na rede social Twitter, onde um internauta rebateu diretamente o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. 

Acontece que, o político petista decidiu usar a sua plataforma na rede social para publicar um tweet onde se lê: “Quando eu era presidente fui ao Senegal pedir desculpas pela escravidão. Fui na “porta do nunca mais” de onde saíam os navios negreiros. Os brasileiros têm uma dívida histórica com o povo negro”. Com esta publicação o ex-presidente procura apresentar uma imagem humana e também ganhar o eleitorado negro do país. 

 

Você pode gostar deCoppola Desmonta Narrativa Esquerdista De Fábio Porchat

Internauta desmoraliza Lula de forma avassaladora

No entanto, o internauta Vinícius Ziza usou a sua plataforma na rede social para rebater a informação com outro fato. Então, ele disse: “Entendi, estou aguardando o dia que o senhor irá bater em minha porta e na de todos os brasileiros para pedir desculpas pela corrupção praticada em nosso país. Você tem uma dívida histórica com o cidadão de bem”. Comentário que foi elogiado e retuitado por diversos usuários da plataforma. 

 

Entenda mais 

Enquanto o ex-presidente Lula da Silva estava no cargo houve vários escândalos de corrupção que repercutem até o hoje. Por exemplo, desvio de dinheiro dos transportes envolvendo o ministro Anderson Adauto, pedido de propina de Wladomiro Diniz, roubalheira nos Correios; o escândalo do Mensalão, a queda de Palocci, desvio na Petrobrás conhecido como o Petrolão, a lista de Odebrecht, entre outros. Além de cumprir pena após o polêmico Duplex, então, resta aguardarmos os próximos episódios e entender mais sobre a opinião pública a respeito.


Participe do nosso grupo MÍDIA LIVRE no WhatsApp: https://chat.whatsapp.com/J1XtopqyAuU1L7NZugWTKb

Comentários