Confira os sites mais acessados da Paraíba!

Ranking com credibilidade e confiança!

Avalie os políticos da Paraíba!

Você pode ver e votar nos políticos do Estado.

Brasil gasta 14 mil dólares ao ano por aluno na universidade, confirma OCDE

Brasil gasta 14 mil dólares ao ano por aluno na universidade, confirma OCDE - Otávio Sá Leitão

A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) confirmou à Gazeta do Povo, nesta segunda-feira (6), que o Brasil gasta US$ 14,261 mil ao ano por cada aluno na universidade.

Desde que o Ministério da Educação (MEC) anunciou que bloquearia 30% das verbas destinadas às universidades federais do país, voltou à tona a discussão sobre o quanto o Brasil gasta com o ensino superior.

Fake News do Uol

No sábado (4), o portal Uol havia publicado que as despesas por estudante, de acordo com informações da OCDE, seriam de US$ 3,7 mil – dessa forma, o Brasil estaria em último lugar no ranking. A instituição, mais tarde, porém, afirmou que o dado estava errado.

De acordo com os dados da OCDE, de 2015, com atualização de 2018, o Brasil está na 16ª posição de um total de 39 países, e gasta mais por aluno na universidade do que Estônia, Espanha, Portugal, Itália, México e Irlanda.

Choro segue em alta

Diversas universidades já se manifestaram em repúdio aos cortes e afirmaram que o contingenciamento é uma “ameaça” à sobrevivência das instituições.

O Colégio Pedro II, no Rio, por exemplo, disse que a escola sofre risco de “implicações devastadoras” com o corte. A UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) afirmou que o contingenciamento coloca em risco serviços básicos na instituição, como o fornecimento de energia.

O IFBA (Instituto Federal da Bahia) teme que seja preciso fechar turmas até o fim do ano. No Paraná, a UFPR (Universidade Federal do Paraná) disse “não há ajuste possível dentro das contas da universidade que torne viável que nós cheguemos até o final do ano com 30% a menos”.

A UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), agora, passa a funcionar com R$ 114 milhões a menos no orçamento. A instituição também teme não conseguir pagar despesas básicas.

Fonte: Via Gazeta.

Comentários