Confira os sites mais acessados da Paraíba!

Ranking com credibilidade e confiança!

A CONVITE DA TV MASTER E SOBRE A CENSURA DO STF CONTRA O PORTAL "O ANTAGONISTA" E SUA REVISTA "CRUSOÉ", O ESCRITOR, JORNALISTA E EDITOR Evandro da Nóbrega, DO INSTITUTO HISTÓRICO E GEOGRÁFICO PARAIBANO, FOI ENTREVISTADO NA NOITE DESTA TERÇA-FEIRA, POR MEI

A CONVITE DA TV MASTER E SOBRE A CENSURA DO STF CONTRA O PORTAL "O ANTAGONISTA" E SUA REVISTA "CRUSOÉ", O ESCRITOR, JORNALISTA E EDITOR Evandro da Nóbrega, DO INSTITUTO HISTÓRICO E GEOGRÁFICO PARAIBANO, FOI ENTREVISTADO NA NOITE DESTA TERÇA-FEIRA, POR MEI - Otávio Sá Leitão

Entre outras coisas, Evandro da Nóbrega ressaltou os seguintes aspectos da questão: 
* É manifestamente ilegal a censura exercida por um ministro do Supremo contra o portal "O Antagonista" e contra sua revista digital, a "Crusoé".

* Trata-se de evidente atentado contra a liberdade de expressão, de Imprensa, de opinião.

* Até agora, Evandro não pôde encontrar uma só entidade, uma só organização ou mesmo uma só pessoa que apoie o STF nesta tentativa de amordaçar meios de comunicação social, quem sabe como um balão de ensaio para avançar contra as redes sociais.

* A censura é terminantemente proibida pela Constituição federal e o STF, como presuntivo guardião da Carta, não pode incorrer em agressões ao texto constitucional.

* Trata-se, ainda, de uma tentativa de intimidar a mídia que se atreve a criticar integrantes da mais alta Corte de Justiça do país.

* Essa atitude de um ou mais ministros do STF somente fez com que aumentasse o interesse do público pelo material publicado pela revista "Crusoé", pelo portal de "O Antagonista", que, em resumo, noticiava o seguinte: Marcelo Odebrecht, em sua colaboração premiada com a Justiça, cita o atual presidente do STF, ministro Tóffoli, como sendo "o amigo do amigo de meu pai" (Tóffoli, à época dos acontecimentos, era o advogado geral da União, comandando, portanto, a AGU).

* O episódio apenas piora ainda mais a visão que o povo vem tendo de alguns integrantes do STF, instituição que, ao longo da História, nunca esteve num patamar tão baixo de aceitação popular. Parece-se esquecer que o Supremo já teve grandes luminares, como Epitácio Pessoa, Osvaldo Trigueiro de Albuquerque Mello, Evandro Lins e Silva, Hermes Lima, Pedro Lessa, Bilac Pinto e outros.

* Nenhum ministro do STF pode-se esquecer do que dizia o grande jurista Rui Barbosa: "A publicidade (vale dizer, em termos de hoje, a transparência) é o princípio que preserva a Justiça de corromper-se".

* Alguns ministros do STF têm cometido, de fato, autênticos atentados aos interesses do país, ao libertarem notórios bandidos; ao deixarem que prescrevam processos envolvendo senadores e outros investigados; ao provocarem grande instabilidade jurídico-institucional com suas "decisões" confusas, conflitantes ou claramente partidárias. Talvez seja necessário que os legisladores indiquem novos caminhos para a nomeação de ministros do Supremo, como o concurso público de título e provas - e o mandato limitado a poucos anos.

* Os ministros do STF não são deuses (apesar de alguns assim se considerarem); não podem ser ditadores (não obstante o desejo de certos deles); não têm que ser obedecidos cegamente; são apenas servidores públicos e, como tal, podem errar (deliberadamente ou não) e por isso serem punidos; outro grande erro institucional, por alimentar a doentia vaidade de alguns, é a autêntica coorte de funcionários que servem a cada ministro da Corte, todos percebendo altíssimos salários!

* A crítica a ministros do STF que erram (ou que cometem crimes, deliberadamente ou não) não significa que se deva FECHAR o Supremo Tribunal Federal; o que se quer é que ele se aperfeiçoe e funcione, realmente, como um efetivo intérprete, hermeneuta & defensor da Constituição.

* Evandro da Nóbrega não tem a pretensão de ser o dono da verdade, nem de falar pela generalidade dos colegas; mas tem certeza de que, em seus posicionamentos, é seguido por jornalistas e intelectuais como Rachel SheherazadeNonato GuedesRubens NóbregaGilson Souto MaiorFrancisco PintoHumberto Cavalcanti de MelloSandra MouraMarcela Xavier Sitônio LucenaMarcella MachadoAriadna GaribaldiHannah VerheulMaria Ida SteinmullerMapê Beiriz CarneiroMarisa de SouzaJoaquim Osterne CarneiroCristiano MachadoHumberto de AlmeidaChico VianaMilton Marques JúniorZé Euflávio HorácioAgnaldo AlmeidaLenilson GuedesWolfram Da Cunha RamosMárcio Roberto Soares Ferreira JúniorMarcio Murilo Da Cunha RamosLuiz Nunes NunesIrapuan Sobral FilhoJoão Agripino MaiaJuarez FariasRegina de MelloCatulo de MelloSabrina Sabrina SousaOtavio Sa LeitaoEliane Dutra FernandesFlavio Satiro FernandesAntônio Flávio Toscano MouraChico Pinto NetoClemildo Brunet de SáJoão da NóbregaJoão Trindade Abelardo OliveiraVlad Mariz-NóbregaVerônica Lúcia R. LunaVanderley de BritoLucia Veronica Aragao, entre outros, bem como pelo jurista Everaldo Dantas da Nóbrega - todos os quais, provavelmente, pensam mais ou menos num diapasão bem parecido.

* Evandro da Nóbrega também classificou o portal "O Antagonista" e a revista digital "Crusoé" como dois dos melhores veículos de informação e análise política da atualidade nacional. Esses meios de comunicação são integrados por jornalistas, colunistas, analistas, comentaristas, escritores, articulistas, entrevistadores, homens de TV e intelectuais do porte de 
- Diogo Mainardi (colunista da revista "Veja" por vários anos);
- Mário Sabino (um dos mais capazes jornalistas investigativos do país);
- Cláudio Dantas (o jovem e equilibrado responsável por sensacionais "furos" do melhor jornalismo interpretativo);
- Duda Teixeira (também ex-"Veja");
- Rodrigo Rangel (o premiadíssimo ex-editor-executivo da revista "Veja", com três Prêmios Esso de Reportagem);
- Felipe Coutinho (ex-BuzzFeeds);
- Caio Junqueira e Igor Gadelha (ambos ex-"Estadão");
- Eduardo Barretto (ex-"O Globo"); 
- Ruy Goiaba (humorista de alto nível); 
- "et alii".

* Como os jornalistas Augusto Nunes, William Waack, José Roberto Guzzo, Felipe Moura Brasil, José Maria Trindade e muitos outros profissionais de jornais, TVs, Internet e demais mídias, são todos eles, os retrocitados especialistas, pessoas acima de quaisquer suspeitas, sem partidarismos políticos ou ideológicos. Fazem críticas à Esquerda, à Direita, ao Centro - enfim, onde couberem reparos às ações de agentes públicos e/ou políticos.

* Aliás, o notável comentarista J. R. Guzzo, aquele mesmo que, semana sim, semana não, assina a última página da revista "Veja", considera no Twitter que Alexandre de Moraes e Dias Tóffoli estão achando que são ditadores: “Toffoli e Moraes, mais a banda podre do STF, estão achando que são ditadores; é bom lembrarem que não têm tanques, mísseis ou tropas – ou seja, valem bem menos do que pensam; pior: muitos dos juristas mais respeitados do país acham que ambos estão cometendo crimes; que se cuidem, portanto.”

* É também mui lamentável que tal atentado contra o direito de opinião tenha partido de um ministro, o Alexandre de Moraes, que é autor de livros sobre Direito Constitucional e que, na CCJ do Senado Federal, ao ser sabatinado pelos parlamentares que aprovaram sua indicação (assinada pelo então presidente Michel Temer, para a vaga do saudoso ministro Teori Zavascki no Supremo), prometeu defender os direitos das pessoas, declarando sua expressa “devoção às liberdades individuais”.

* O STF faça por onde ser respeitado, para não continuar sofrendo críticas acerbas da Sociedade; sim, porque isto é elementar, meu caro Watson: respeito não se impõe, se conquista.

* É preciso, sim, que sejam esclarecidas quaisquer dúvidas que possam surgir em torno do atual presidente do STF, ministro Dias Tóffoli (ou outro qualquer ministro da Corte), simplesmente porque o cargo deve ser sempre ocupado por juristas de ilibada moral e elevado saber jurídico. E, afinal, NINGUÉM deve estar acima da lei - embora haja quem se julgue, no imortal dizer do filósofo-humorista Millôr Fernandes, "igual, sim, mas mais igual que os outros".

* O STF sabe perfeitamente que já existem meios jurídicos de combater possíveis "fake news" ou acusações falsas atingindo seus integrantes: basta processar o responsável e obter, se for o caso, sua condenação e o consequente reconhecimento da inocência da parte acusada, inclusive com o ressarcimento financeiro por eventual dano moral cometido.

* Quando se chega ao ponto de um ministro como Gilmar Mendes ser visto como o "inimigo público número 1" e um respeitado jurista como Modesto Carvalhosa dizer que "o STF mostrou claramente que está a serviço do esquema de corrupção que domina este país", é porque alguma coisa está REALMENTE errada e até já ultrapassou os limites do suportável.

* De outra parte, o Dr. Paulo Eduardo Martins afirma, para quem quiser ouvir: "Uma Suprema Corte existe para pacificar a sociedade a respeito da interpretação da Constituição, que é o pacto social do país. No Brasil, é o contrário: o STF de hoje é o responsável pela desestabilização social. A Corte é o núcleo do caos."

* Enquanto alguns ministros do STF adotam atitudes e medidas cada vez mais impopulares, recrudesce formidavelmente a reação dos brasileiros — e a piada mais inocente nas redes sociais é aquela mostrando a estátua da deusa da Justiça sem a venda nos olhos, mas com essa mesma venda transformada em tapa-boca ou mordaça...

* O pessoal de "O Antagonista", que basicamente é o mesmo da revista eletrônica "Crusoé", considera que a censura exercida pelo ministro Alexandre de Moraes representa "um atentado violento à Constituição", entendendo que a medida tomada pelo integrante da Corte Suprema, a pedido de seu presidente, decorreu da divulgação, por aqueles dois veículos, de um documento até então público, em que Marcelo Odebrecht dizia à Operação Lava-Jato que o codinome “amigo do amigo de meu pai” (usado por ele numa mensagem de 2007, para tratar da Usina de Santo Antônio) referia-se a Dias Tóffoli, então chefe da Advocacia Geral da União. Afora isso, a revista não fez nenhuma ilação que pudesse envolver o ministro Tóffoli.

* No entanto, sabe-se que três delatores ouvidos pela "Folha de S. Paulo", sob a condição de que seus nomes não fossem divulgados, informaram que o linguajar usado por Marcelo Odebrecht na tal mensagem de 2007 "é típica de quem está tratando de pagamento ilícito". O titular do STF, claro, nega terminantemente que tenha (ou tenha tido) qualquer relacionamento com a construtora Odebrecht e seus donos ou intermediários.

* Todos os setores com algum interesse no quiproquó, inclusive a Grande Imprensa, ficaram a favor de "O Antagonista" e da "Crusoé" e contra a censura do STF. Tal apoio é até certo ponto surpreendente, vez que esses dois veículos da mídia virtual não costumam ser vistos com bons olhos pelos veículos tradicionais do segmento da comunicação. São enxergados, antes, como concorrentes ou mesmo "penetras" indesejados numa área de altíssima concorrência, o da informação pública.

VAI PARA O PORTAL
Muitos outros pontos foram abordados pela entrevistadora Nena e pelo entrevistado Evandro da Nóbrega. O programa contou com a decisiva participação de profissionais da TV Master, como Maisa Vieira (universitária de Comunicação e responsável pela avaliação das redes sociais), Anézia Nunes (redatora do portal), Joanderson Almeida (produtor) e o cinegrafista Rafael.

A entrevista será postada logo mais no portal da TV Master. Nas fotos, Nena Martins, a entrevistadora, em três poses com o entrevistado. Clique nas fotos, please, para vê-las ampliadas.

Fonte: Evandro da Nóbrega

Comentários