Juiz que mandou prender Milton Ribeiro tem histórico contra Governo

Juiz que mandou prender Milton Ribeiro tem histórico contra Governo - Otávio Sá Leitão

O juiz Renato Borelli, que determinou a prisão do ex-ministro da Educação Milton Ribeiro, tem se notabilizado por conceder decisões desfavoráveis ao Governo de Jair Bolsonaro e seus integrantes. A sequência de decisões coloca em dúvida perante a sociedade a imparcialidade do magistrado ao decidir pela prisão preventiva do ex-auxiliar presidencial.

 

As decisões contra o governo começaram em junho de 2020, com uma exdrúxula ordem de Borelli que obriga a o Presidente da República o uso obrigatório de máscara em espaços públicos e estabelecimentos comerciais, como medida de proteção contra COVID. A decisão foi derrubada pelo TRF-1.

Também foi o magistrado que determinou abertura de ação penal contra o então Presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo, por crime de difamação envolvendo a deputada federal Tabata Amaral (PSB-SP).

 

Agora, o juiz ordena a prisão preventiva do ex-Ministro da Educação que, segundo a defesa de Milton Ribeiro, é ilegal: “Vamos entrar com pedido de habeas corpus visando o reconhecimento da coação ilegal imposta, especialmente porque os fatos são pretéritos e sem contemporaneidade. Não se poderia decretar a medida excepcional. A razão da prisão preventiva editada é injusta, desmotivada e indiscutivelmente desnecessária”, alegou o advogado Daniel Bialski, em nota.

Renato Borelli informa em seu perfil em uma rede social ser coordenador científico de um cursinho preparatório que há alguns meses publicou crítica ao preço dos combustíveis em sua página no Instagram:

O perfil do magistrado no Instagram encontra-se configurado para ocultar conteúdo do público e está restrito aos seus amigos.

Fonte: Nova Iguaçu 24 horas.


Participe do nosso grupo MÍDIA LIVRE no WhatsApp: https://chat.whatsapp.com/J1XtopqyAuU1L7NZugWTKb

Comentários