Confira os sites mais acessados da Paraíba!

Ranking com credibilidade e confiança!

Bolsonaro sobre manifestação de estudantes: 'movimento do pessoalzinho que eu cortei verba'

Bolsonaro sobre manifestação de estudantes: 'movimento do pessoalzinho que eu cortei verba' - Otávio Sá Leitão

O protesto de estudantes em todo país voltou a ser criticada pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL). Ao conversar com alunos de uma escola privada de São Paulo em frente ao Palácio da Alvorada neste sábado, o presidente voltou a chamar os manifestantes de “idiotas úteis” e questionou as crianças que recebiam sobre o que elas achavam do “movimento do pessoalzinho” que ele cortou verbas. 

O presidente foi até a portaria do Palácio da Alvorada depois que estudantes começaram a pedir a presença dele. “O Bolsonaro, cadê você, eu vim aqui só para te ver”, gritaram. Com a camisa da seleção brasileira, bermuda e chinelo, Bolsonaro foi ao encontro das crianças, posou para fotos e conversou com alguns deles. 

Entre os assuntos estava a manifestação de estudantes contra a série de protestos contra os cortes do governo na educação básica e no ensino superior. Novamente, o ato foi criticado por Bolsonaro. “E esse movimento do pessoalzinho aí que eu cortei verba, o que vocês acharam?”, perguntou o presidente. 

Na última quarta-feira, quando estava em Dallas, nos Estados Unidos, o presidente chamou de "idiotas úteis" e "massa de manobra" os manifestantes. Neste sábado, ele repetiu a fala. “Em Dallas, eu falei sim, que eram, faziam lá, uma parte, são idiotas úteis. É verdade, ué. Tô mentindo?”, disse. Também voltou a dizer que os estudantes eram “massa de manobra dos espertalhões de sempre”, e que os protestos são coordenados pelo “pessoal que quer voltar ao poder”. 


Pelo menos 75 das 102 universidades e institutos federais do país convocaram protestos em resposta ao bloqueio de 30% dos orçamentos determinado pelo Ministério da Educação (MEC). Universidades públicas estaduais e privadas de diversos estados também engrossam o movimento.

Fonte: Estado de Minas

Comentários