Confira os sites mais acessados da Paraíba!

Ranking com credibilidade e confiança!

Avalie os políticos da Paraíba!

Você pode ver e votar nos políticos do Estado.

Crédito para pescadores é “revolução no setor” e terá impacto direto na pobreza, diz presidente da Caixa

Crédito para pescadores é “revolução no setor” e terá impacto direto na pobreza, diz presidente da Caixa - Otávio Sá Leitão

Em entrevista ao programa A Voz do Brasil, o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, afirmou ontem (12) que acredita que as linhas de crédito liberadas para pesquenos pescadores terão impacto significativo na redução da pobreza em áreas litorâneas e em bacias hídrográficas em todo o Brasil.

“Temos mais de R$ 20 bilhões em linhas para oferecer. Estimamos um milhão de pescadores [no Brasil], em especial os mais carentes”, declarou Guimarães, que comparou o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) ao programa Casa Verde e Amarela, que viabiliza a aquisição de habitações populares a juros reduzidos.

Pedro Guimarães informou que as linhas de crédito serão disponibilizadas em duas modalidades diferentes, sendo uma de curto prazo – chamada de custeio -, e uma a longo prazo, chamada modalidade de investimento. As taxas ofertadas pelo banco começam em 3% de juros ao ano – menor índice entre todas as modalidades de empréstimo -, e até R$ 250 mil.

“Vamos revolucionar o setor. O Brasil, um dos maiores produtores agrícolas do mundo, importa peixes. O que pode acontecer? Uma revolução”, disse Guimarães sobre o impacto da abertura de crédito para pequenos pescadores.

 
 

O presidente do banco também falou sobre os impactos ambientais que o programa deve trazer, já que permitirá maior rentabilidade de atividades menos invasivas ao meio ambiente. “Muitas vezes, as pessoas acabam queimando madeira para fazer lenha, o que rende R$ 0,20 para o saco de 10 quilos. Se ela participar da criação de peixes, vai ganhar 20 vezes mais. E com isso estará [em uma situação] de preservação da natureza”, complementou.

Durante a entrevista, Pedro Guimarães também falou sobre o abono salarial de 2022, que será pago ao longo de dois meses ao invés do período tradicional de um ano. Segundo a Caixa, cerca de 22 milhões de trabalhadores receberão R$ 20 bilhões que deverão ser injetados diretamente na economia.

“Acreditamos que praticamente 100% desses R$ 20 bilhões serão injetados no consumo, na economia de uma maneira rápida”, informou Pedro Guimarães.

 

Beneficiários poderão movimentar os fundos do abono salarial pelo aplicativo Caixa Tem ou diretamente nas agências.

O presidente da Caixa estimou que cerca de 150 mil pessoas terão acesso ao saque calamidade do FGTS em razão das chuvas e enchentes que assolam a Região Nordeste do Brasil. 

*Com informações de Agência Brasil

Fonte: Gazeta Brasil

Comentários