Fernando Haddad Tenta Lacrar Mas Recebe O “Print Eterno”, Entenda

Fernando Haddad Tenta Lacrar Mas Recebe O “Print Eterno”, Entenda - Otávio Sá Leitão

São Paulo, quarta-feira, 22 de junho de 2022 – Com as eleições de 2022 chegando as alfinetadas entre direita e esquerda se tornam cada vez mais constantes. Hoje, o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad tentou lacrar, mas recebeu aquele “print eterno”  onde se comprovou uma verdade diferente do que apontava, veja abaixo. 

Hoje, perto do meio-dia, Fernando Haddad escreveu no Twitter: 

 

“Lamento muito pelo que se transformou o Ministério da Educação. No nosso tempo era bem diferente. Criamos políticas públicas que transformaram a vida do povo como o ProUni, FIES sem fiador, SiSu, Caminho da Escola, Ciência sem Fronteiras e tantas outras”. 

Em outra postagem ainda continuou com as afirmações: “Hoje o MEC virou caso de polícia e centro de um dos maiores escândalos do governo Bolsonaro. É urgente uma mudança de rumos. O futuro de milhões de brasileiros depende disso”

 

Fernando Haddad é investigado pela PF por ‘suspeita de fraude’

Por outro lado, segundo o perfil “FamíliaDireitaBrasil” no Twitter respondeu com uma publicação da Veja de 31 de julho de 2020. Onde se lê: 

“PF também investiga suspeita de fraude em licitação do MEC feita na gestão Haddad”. Segundo a matéria escrita  por Dimmi Amora e Fernando Mello na Folha: 

A Polícia Federal apura suspeita de um suposto fraude em contrato do Inep, Instituto ligado ao MEC e responsável pelo ENEM, segundo a prestação de serviços de informática. 

 

Assim, a Folha apurou que a polícia teria reunido indícios de um mesmo grupo criando uma fraude. 

Além disso, o perfil ainda apontou que esta investigação conduzida pelo Tribunal de Contas da União reuniu informações de uma licitação aberta da época na qual Fernando Haddad ainda estava no poder, onde o MEC reforçou a área de informática e aumentaria a segurança do Enem. No entanto, os auditores encontraram informações que estariam equivocadas.

Fonte: News Atual


Participe do nosso grupo MÍDIA LIVRE no WhatsApp: https://chat.whatsapp.com/J1XtopqyAuU1L7NZugWTKb

Comentários