Portal mídia livre 15 anos

VALESCA POPOZUDA NA LAVA JATO. Click e leia no site do Tavinho

Para conter crise, Renan cita Valesca: 'Sem tiro, porrada e bomba'

VALESCA POPOZUDA NA LAVA JATO. Click e leia no site do Tavinho

Ao pedir serenidade e sensatez para conter a crise econômica, o presidente do Senado,Renan Calheiros (PMDB-AL), apelou a um trecho da música “Beijinho no ombro”, da cantora Valesca Popozuda.

"Tiro, porrada e bomba, para utilizar uma expressão tão contemporânea da música brasileira, não reerguem nações. Espalham ruína e, lamentavelmente, só ampliam os escombros. Nós não seremos sabotadores da nação e nem agentes de mais instabilidade", disse Renan ao G1. "Não somos e nem seremos narradores impessoais desse precipício. A crise atual não é apocalíptica. Mas exige de todos sensatez e serenidade em busca de saídas”, acrescentou.

Esta não é a primeira vez que este trecho da música aparece no noticiário. Em abril do ano passado, ele foi citado em uma prova de filosofia de uma escola do DF. O enunciado do teste dizia: “Segundo a grande pensadora contemporânea Valesca Popozuda, se bater de frente…”. Os estudantes tinham que completar e a resposta correta era "é só tiro, porrada e bomba".

Agenda Brasil

O peemedebista falou na instalação da comissão que vai analisar a Agenda Brasil. Nesta terça-feira (1º), ele disse ter pedido à presidente Dilma Rousseff o "incondicional apoio à agenda", e afirmou que a série de medidas propostas para a tentativa de minimizar a crise econômica tem como principal objetivo evitar a perda do grau de investimento do País pelas ações de classificação de risco.

Segundo ele, o principal objetivo da agenda é trabalhar para reverter a perspectiva de perda do grau de investimento.

Orçamento

Renan também rechaçou o pedido da oposição de devolver ao Planalto o orçamento deficitário. De acordo com ele, caberia ao Congresso aperfeiçoá-lo.

"Desde ontem eu digo que eu não cogito devolver a proposta orçamentária. Eu acho que é papel do Congresso Nacional melhorá-la, dar qualidade e cabe ao governo federal sugerir caminhos para a superação do déficit", ponderou antes do encontro com os líderes oposicionistas.

Após a reunião, líderes de oposição relataram que o presidente do Senado se mostrou disposto a solicitar ao Executivo um aditamento à peça orçamentária, indicando onde os cortes poderiam ser feitos, para minimizar o déficit estimado em R$ 30,5 bilhões. Segundo os relatos, Renan concordou que não caberia ao Congresso decidir onde deve cortar gastos e teria sinalizado ainda que a proposta orçamentária poderia ficar paralisada até o governo definir os cortes.

Mais Notícias

O LIVRO CERTO PARA COMEÇAR UM NOVO ANO. Click e veja no site de Tavinho
O LIVRO CERTO PARA COMEÇAR UM NOVO ANO. Click e veja no site de Tavinho

Ao invés de seguir modelos prontos e dicas gerais de como agir para viver melhor, que tal buscar o autoconhecimento, reconhecer as próprias fraquezas e criar os hábitos certos para cada um de nós?

AVISA APROVA PRIMEIRO LOTE DE MACONHA DISFARÇADA DE REMÉDIO. Click aqui
AVISA APROVA PRIMEIRO LOTE DE MACONHA DISFARÇADA DE REMÉDIO. Click aqui

ANVISA APROVA PRIMEIRO REGISTRO DE REMÉDIO À BASE DE CANNABIS SATIVA