Portal mídia livre 15 anos

Maluf quebra regra, procura ministro e liga por engano para repórter

Confira!

Maluf quebra regra, procura ministro e liga por engano para repórter

O deputado Paulo Maluf (PP-SP) acabou criando uma situação inusitada na manhã desta quarta-feira (08) uma vez que errou uma ligação. O ex-prefeito de São Paulo está preso em regime domiciliar e é obrigado a cumprir algumas regras impostas pela Justiça. Porém, ele se equivocou e acabou quebrando algumas dessas regras. O deputado fez uma ligação por engano ao Valor Econômico. Aparentemente, Maluf demonstrava desespero em falar com uma pessoa. Ele ligou cerca de cinco vezes para um número de celular que acreditou ser de um ministro. No entanto, o número era de um repórter do jornal.

Paulo Maluf ficou surpreso ao ver que errou o destino de sua ligação e chegou a questionar: “Esse número não é do ministro?”. A ligação feita por Maluf acontece nas vésperas da Mesa Diretora da Câmara adiar por mais alguns dias a cassação do seu mandato de deputado. Isso acabou chamando um pouco a atenção.

Paulo Maluf ficou surpreso ao ver que errou o destino de sua ligação e chegou a questionar: “Esse número não é do ministro?”. A ligação feita por Maluf acontece nas vésperas da Mesa Diretora da Câmara adiar por mais alguns dias a cassação do seu mandato de deputado. Isso acabou chamando um pouco a atenção.

De acordo com as informações, a conversa foi rápida. Maluf não entregou quem seria o ministro com quem queria falar. Ao falar de sua saúde, o ex-prefeito afirmou que estava se sentindo bem. Ele afirmou que realiza várias sessões de fisioterapia e chegou a brincar ressaltando que não é fácil transformar um carro velho em uma Ferrari. Maluf está com a idade avançada e com a saúde muito frágil, deste modo foi apreciado com a prisão domiciliar. Em outras palavras, os ministros da Corte levaram essa questão como fundamental em suas decisões.

Perda de mandato
O deputado cumpre pena de 7 anos e 9 meses por desvios em obras no tempo em que foi prefeito de São Paulo. Ele foi condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) pelo crime de lavagem de dinheiro. Segundo o deputado Evando Gussi (PV), corregedor da Camâra, na próxima terça-feira (14) será analisado o caso complexo que envolve a perda de mandato do cargo de deputado. Tudo será apurado de uma forma urgente e imediata, todavia, não se sabe se já chegará a uma decisão final.

No mês de maio, ele foi condenado pela Primeira Turma da Corte. Ele é acusado de praticar falsidade ideológica com fins eleitorais. Enfim, o ex-prefeito está envolvido em irregularidades nas prestações de conta de 2010.