Portal mídia livre 15 anos

Após vaias, Roger Waters recua e admite não entender sobre a situação política do Brasil

Compartilhar

Após vaias, Roger Waters recua e admite não entender sobre a situação política do Brasil

Após repercussão negativa da crítica que fez contra Bolsonaro em um país onde a maioria absoluta da população está apoiando o candidato, o músico da banda Pink Floyd recuou e admitiu não entender exatamente o que acontece no Brasil.

Roger Waters talvez não esteja ciente que O PT apoia regimes ditatoriais e tem como pilares a censura de imprensa, o enfraquecimento do Ministério Público e o financiamento da Venezuela.

 

Após exibir em um telão “#EleNão” durante seu show em São Paulo, Roger Waters, um dos fundadores da banda Pink Floyd, foi vaiado na noite de terça-feira (9).

A apresentação incluiu um vídeo que mostrava nomes de outros políticos chamados de “neofascistas” pelo cantor, como a ex-candidata à Presidência da França Marine Le Pen, os presidentes dos EUA, Donald Trump, e da Rússia, Vladimir Putin.

Ao final, incluiu na lista o nome do candidato Jair Bolsonaro (PSL). As vaias tomaram conta do Allianz Parque, na zona oeste da capital paulista. Em um vídeo, um dos espectadores critica o cantor pela postura.

Waters tentou se justificar, mas os gritos de “mito” continuaram. O músico acabou dizendo que não entende exatamente o que acontece no Brasil.