Portal mídia livre 15 anos

Antes de ir em cana, Lula disse que como ex-presidente não poderia ser preso por um concursado

Compartilhar

Antes de ir em cana, Lula disse que como ex-presidente não poderia ser preso por um concursado

Desde que se tornou alvo da Operação Lava Jato há cerca de três anos, o ex-presidente Lula já manifestou seu desprezo pela Justiça e por seus representantes em mais de uma centena de oportunidades. Apontado como chefe do assalto na Petrobras, Lula teria sido uma peça fundamental para as atividades criminosas que quase levaram a estatal à falência.

Apesar de todas as provas, testemunhos e evidências da materialidade de seus crimes, Lula sempre subestimou a Justiça. E foi justamente por seu desprezo pelas leis que o petista se permitiu embrenha-se por um caminho de crimes sem volta.

A soberba e a prepotência do petista alcançaram mesmo o auge quando ele finalmente conseguiu alcançar um objetivo traçado por mentes obsessivas de seu partido ainda nos anos 80. Ao chegar à Presidência, Lula se tornou ainda mais destemido e implantou um regime de corrupção na máquina pública sem precedentes na história.

O ex-presidente e o PT colocaram em prática a velha cartilha do aparelhamento do Estado, distribuindo cargos em pontos estratégicos  para seus comandados. Naquela altura, os petistas sabiam que não seria possível roubar o que pretendiam sem a ajuda de grandes grupos empresariais igualmente corruptos. Do mensalão ao petrolão, o PT foi roubando de bilhão em bilhão e conseguiu vencer outra, outra e outra eleição.

Quando Lula deixou a Presidência em janeiro de 2011, sua popularidade batia todos os recordes e alcançava incríveis 82% de avaliação positiva. O petista, que já era arrogante e gostava de tripudiar sobre seus adversários, passou a se sentir intocável por ter conseguido eleger uma anônima como sucessora. Na cabeça de Lula, ninguém teria coragem de mexer com um ídolo tão popular. Foi a partir de sua saída do governo que o petista começou a enfiar o pé na jaca e passou a ser compensado pelos galhos que havia quebrado para muita gente.

O executivo Marcelo Odebrecht confirmou que disponibilizou R$ 40 milhões logo de cara para o ex-presidente no banco de propina da empreiteira. Influente, popular e com tanto dinheiro, Lula se achava acima de tudo e de todos. O problema é que Lula e o PT exageraram demais no assalto aos cofres públicos. O próprio Emílio Odebrecht confirmou em delação que chamou a atenção de Lula para o apetite desmedido dos petistas para propina e afirmou que os jacarés estavam se transformando em crocodilos vorazes.

Mas Lula não lhe deu ouvidos. O petista simplesmente não acreditava que seu partido deixaria o comando do Brasil antes de 2030 e contava com a guarida dos eventuais sucessores. Mas ai veio a Lava Jato e as coisas começaram a mudar.

A maior investigação sobre corrupção no Brasil conseguiu desvendar boa parte dos crimes cometidos por Lula e de seus aliados no meio político e empresarial. Dezenas de empresários, políticos e membros do partido foram presos e ajudaram a montar que quebra cabeça da corrupção implantada por Lula e pelo PT durante 13 anos no poder.

Apesar de ter se tornado réu em diversas ações penais e alvo de outros tantos inquéritos por seu envolvimento em crimes como lavagem de dinheiro, corrupção e organização criminosa, Lula ainda se negava a crer que poderia ser preso. Logo ele, um ex-presidente e líder daquele que chegou perto de ser o maior partido do Brasil. Foi justamente esta convicção que fez com que Lula conduzisse sua desarrazoada defesa para o campo político. O petista simplesmente procurava ignorar os fundamentos jurídicos dos processos que pesavam contra ele e insistia na teoria de que nenhum juiz do Brasil poderia prendê-lo por sua grandeza quase mitológica.

No vídeo abaixo, Lula deixa escapar esta convicção ao afirmar que um juiz, só por que fez uma faculdade e passou num concurso, não consegue compreender a dimensão de sua importância política. Esta foi a primeira entrevista de Lula após o levantamento dos sigilos das delações da Odebrecht. O petista havia se tornado o principal alvo dos depoimentos gravados em vídeo por delatores como Emilio Odebrecht, Marcelo Odebrecht e Alexandrino Alencar. Pouco tempo depois, Lula foi preso, após a condenação em segunda instância no caso do triplex do Guarujá. Atualmente, o petista cumpre pena de 12 anos em Curitiba.