Portal mídia livre 15 anos

A Equipe de Bolsonaro trabalha para criar o 'super Bolsa Família' e ampliação de vagas em creches

Compartilhem

A Equipe de Bolsonaro trabalha para criar o 'super Bolsa Família' e ampliação de vagas em creches

Contrariando as expectativas de alguns entusiastas mais exaltados com a candidatura do deputado Jair Bolsonaro, a equipe do presidenciável estaria preparando, segundo a Folha de São Paulo, projetos para a criação de um 'super Bolsa Família' e para ampliação de vagas em creches para para bebês e crianças de até três anos de idade.

Segundo a publicação, os dois novos programas custarão quase R$ 100 bilhões por ano ao governo e estão divididos em "duas propostas de grande porte na área social que serão financiadas com o cancelamento de cerca de R$ 68 bilhões em benefícios hoje direcionados a trabalhadores e empresários". A a ideia de ampliar o Bolsa Família, programa que virou a grande marca da era petista, pode ser interpretada por muitos como mais uma estratégia eleitoreira de longo prazo, mas ao que tudo indica, os estudos neste sentido são sérios.

É praticamente impossível negligenciar a necessidade de programas sociais num país com uma das maiores disparidades na distribuição de riquezas. Segundo a Folha, "Ambas as iniciativas acenam para famílias com renda domiciliar per capita de até um salário mínimo, especialmente do Norte e do Nordeste, e preservam o acesso de mulheres ao mercado de trabalho".
Para implementar esses programas, os assessores de Bolsonaro planejam acabar com o abono salarial, incorporando esses recursos —R$ 19 bilhões, em 2019—, e cancelar incentivos tributários para empresas no montante de R$ 49 bilhões por ano.

De onde virá  o dinheiro
R$ 19 bi - em 2019 serão destinados ao programa do 'super Bolsa Família' e de universalização do acesso às creches no país com o fim do abono salarial
R$ 49 bi - anuais serão incorporados ao programa por meio do cancelamento de incentivos tributários para empresas
R$ 30 bi - por ano sairão do Orçamento da União e já são destinados atualmente ao Bolsa Família, que ganhará outro nome no eventual governo Bolsonaro

Os outros R$ 30 bilhões sairão do Orçamento da União já destinado ao Bolsa Família --que seria ampliado e ganharia outro nome".

De acordo com a publicação, o programa ainda não tem um nome e é tradado como o "super Bolsa Família". O projeto foi elaborado, segundo a Folha, ex-presidente do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada) e mestre em economia pela UnB (Universidade de Brasília), Sergei Soares,.

O especialista disse que recebeu de Paulo Guedes, assessor econômico de Bolsonaro, a orientação para racionalizar os gastos, aproveitando o que já existe para criar um novo "marco de proteção social".

O próprio Bolsonaro, ao lado do empresário Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan, anunciou que pretende instituir o 13.º para o programa Bolsa Família. O anúncio foi compartilhado nas Redes Sociais nesta quarta-feira, 10.

Bolsonaro Presidente@JoelAlexandreM

Anúncio: bolsa família vai ter 13º no governo Bolsonaro